quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Operação João de Barro motivou a paralisação. Edição Nº 950 - 23/08 a 29/08/2010

Segundo o secretário de finanças e serviços, da Prefeitura de Palmas (SEINFA), Jair Corrêa Júnior, que no ato representou o Executivo Municipal, após irregularidades indicadas pela Controladoria Geral da União (CGU), o Ministério das Cidades recomendou à prefeitura de Palmas a realização de nova licitação para a execução das obras de drenagem de água pluvial e pavimentação das quadras 305, 405, e 605 Sul (respectivamente as Arsos 32, 42 e 62) e de parte do Jardim Aureny III.
Tais obras foram alvo de investigação da por parte da Polícia Federal na Operação “João de Barro”. Todas elas provenientes de recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do governo Federal.
Uma vez suspensas as obras pelas irregularidades apontadas pela CGU, o município ao invés de fazer nova licitação, como lhe foi recomendado, assumiu sua execução direta. Sem retorno, a população mais uma vez se manifestou.
   

Nenhum comentário:

Postar um comentário